O clássico Audi Quattro segue fazendo história. A Audi elevou o jogo mais uma vez no início de 2019, tendo enviado um e-Tron a toda velocidade para uma pista de esqui gelada, coberta de neve, com 85% de inclinação nos Alpes. De acordo com a Audi, Mattias Ekström, campeão mundial de rallycross, se aventurou neste feito no novo SUV eletrificado para demonstrar que o carro elétrico da marca estava pronto para tudo.

The Audi Quattro

A impressionante façanha prestou homenagem ao mundialmente famoso comercial da Audi Quattro de 1986. O Audi 100 Quattro subiu uma pista de esqui comparável até o topo na época. A tecnologia revolucionária do Audi Quattro permitiu esta incrível acrobacia, tal como aconteceu em 1986 e 2019.

Após 35 anos de inovação do modelo, todos os modelos Audi estarão disponíveis com acionamento Quattro em várias configurações até 2022. A Audi relata que mais de oito milhões de pedidos de acionamento com todas as rodas foram feitos. Entretanto, quando o primeiro Audi Quattro foi apresentado no Salão do Automóvel de Genebra de 1980, foi o primeiro automóvel de tração nas quatro rodas leve e de alta velocidade do mundo. De 1981 a 1987, o carro ganhou campeonatos mundiais de rali e se tornou uma lenda.

Os anos dourados do Audi Quattro: 1981-1987

Segundo o Snap Lab, o Audi Quattro foi o primeiro veículo de rally com tração nas quatro rodas e teve uma vantagem inigualável sobre outras equipes por muito tempo. O Audi ganhou comícios na Suécia e no Reino Unido em 1981. Este foi seu ano de estreia, com Hannu Mikkola ao volante. O carro era movido por um motor de 2.144 cc em linha de 5 cilindros com um intercooler e um turbocompressor e intercooler. Com 200 cavalos de potência, ele podia acelerar de 0 a 62 mph em 7,1 segundos e atingir velocidades máximas de mais de 136 mph.

GP Ice Race 2022

A Audi venceu a corrida na Finlândia no mesmo ano, mas o Quattro estava apenas se aquecendo. Um ano depois, em 1982, ganhou sete eventos. Assim, foi coroado campeão mundial graças a melhoras que aumentaram a potência para 350 cavalos. A inovadora versão A2 chegou em 1983, e a versão A1 venceu cinco corridas da WRC. Nesse mesmo ano, Hannu Mikkola venceu o campeonato mundial. 1984 se seguiu, e provou ser o ano mais triunfante da Audi.

Stig Blomqvist recebeu o título de novo campeão mundial, e a Audi terminou em segundo lugar. Seus veículos, o Audi Quattro A2 e o Audi Sport Quattro S1, foram os maiores. A segunda geração do Audi Sport Quattro chegou com um agressivo 500 cv. O Quattro S2 também tinha uma aparência aerodinâmica assertiva, com asas dianteiras e traseiras e spoilers. Ele passou de 0 a 62 mph em 3,1 segundos.

Embora os carros de rally do Grupo B tenham sido proibidos em 1987 e os veículos do Grupo A os tenham substituído, o legado do Quattro não pôde ser abalado. São 23 vitórias na WRC, dois títulos de condutor e dois títulos de fabricante.

Por trás das rodas do Quattro, em 1984 e 2022

Audi e-tron repeats Quattro ski slope stunt

Stig Blomqvist, o piloto inicial de Quattro e Campeão Mundial de 1984, compartilhou sua experiência ao volante. Ele falou durante uma entrevista sobre a tecnologia do carro ao longo de duas gerações. A memória mais viva de Blomqvist é a da corrida de Monte Carlo, em 1984. Blomqvist explica como outros veículos estavam saltando e sendo atirados para fora nas curvas na época.

“Nessas condições, ninguém poderia vencer o Quattro”, disse Blomqvist. Ele descreveu como a pista de corrida era escorregadia porque tinha nevado. Só ele e seus companheiros estavam no Quattro (o único com tração nas quatro rodas na época). Os outros pilotos estavam passando por um momento difícil. A Audi afirma que sua tecnologia não é apenas para corridas, mas também fornece o veículo ideal para qualquer piloto que enfrente condições desafiadoras.